Brasil

Information


























Club Members

Club Pictures
1 comments
0 comments
1 comments
3 comments
1 comments


Displaying 5 of 361 topics | See All
Club Discussion
[Game] Qual a sua primeira impressão do usuário acima de você? ( 1 2 3 4 5 ... Last Page )
Daah - Mar 29, 2016
6,989 replies by EddyPlay »»
43 minutes ago
[Game] Dê uma nota para música anterior. ( 1 2 3 4 5 ... Last Page )
riqueterremoto - Aug 17, 2015
1,204 replies by EddyPlay »»
51 minutes ago
[Game] Vejo ou não vejo? ( 1 2 3 4 5 ... Last Page )
Lafeier - Mar 11, 2009
864 replies by _Jaque »»
3 hours ago
Quem realmente é "dono" de um anime?
estevam - Oct 12
2 replies by Southnnz »»
Oct 20, 8:56 AM
Sticky: Poll: De que lugar voce é? ( 1 2 3 4 5 ... Last Page )
neomauii - Jul 27, 2007
973 replies by CarolineMS »»
Oct 14, 10:09 AM


Add a Comment

Club Comments
yAdson | 4 hours ago
Bom vídeo.

Ellroy | 12 hours ago
Lol, eu não vi muita diferença da linha de pensamento comum do ocidente com a linha de pensamento das moças entrevistadas sobre ideais feministas.
Vi muita gente no MAL usando esse vídeo pra refutar pontos desse movimento e esperava algo totalmente diferente.

estevam | Yesterday, 11:05 PM

yAdson | Yesterday, 9:49 AM
Well, mas ao meu ver não tem problema em problematizar, ou talvez tenha. É que na maioria das discussões em relação à isso não há consenso, apenas acareação moral. Ou seja, um tentando mostrar para o outro que ele está certo e o alheio está errado. Meu problema com a problematização é justamente esse, argumentos e argumentos já saturados que no fim só são válidos para quem preconizou. (Algo que felizmente não aconteceu aqui, por hora...)

Concordo que a molecada (faço parte desse grupo abençoado) seja tóxica, muitos não aceitam quaisquer críticas que sejam relacionadas ao teu desenho favorito, principalmente se for relacionada à assuntos mais polêmicos como esse. Tenhamos paciência, não temos culpa. Dissonância cognitiva é algo natural e todo mundo sofre disso, apesar de que é essencial deixar isso de lado.

Nossa, não me interprete errado. Eu não disse que eles não devem ser discutidos por serem desenho. Eu também falo bastante quando o protagonista do harém ecchi foge na hora H, dá uma maldita impressão de que todo adolescente que assista anime seja assim. Isso é ofensivo e dói na alma.

OverkilledRed | Yesterday, 8:11 AM
Eu entendo que existem pessoas assim que se contradizem e relativizam coisas que deviam ser problematizadas, porque, no final, tudo vai depender do seu afeto pela obra. Tem pessoas que vão se sentir inseguras de criticarem coisas que elas gostam por acharem que vão acabar destruindo o entretenimento delas, então aquilo acaba se tornando sagrado. Mas problematizar não quer dizer que aquela obra perca todo o seu valor; só que você tá aberto a discussão e entende o problema. Já falamos aqui como ainda gostamos de um ou outro shounen, mas sempre com ressalvas.

O objetivo de discutir essa questões é de conscientizar pessoas que sempre encararam aquilo como normal justamente porque a mídia que consomem ditou aquilo. Problematizar "desenho asiático" é importante porque refletem um público que muitas vezes é tóxico e espera que a mídia enalteça isso. Se querem argumentar que não se problematiza um produto de entretenimento pois não reflete a realidade, então nunca se olharam no espelho.

yAdson | Yesterday, 7:03 AM
LOOOL

Essa conversa me lembrou de quando eu recomendei Chrono Crusade pra uma colega da faculdade. No dia seguinte ela deu um show lacradxr dizendo que o anime era """"meio"""" machista porque a Rosette sempre precisava do Chrno nas horas mais difíceis, disse que não tinha necessidade disso e que ela poderia ser totalmente independente. Se tivesse acabado aí pra mim tudo bem, mas no dia seguinte ela enalteceu que uma cena de alívio cômico (""ecchi"") entre o Edward (coroa cientista lá da ordem) e a Rosette incentivava a pedofilia.

Nada contra os justiceiros sociais, inclusive torço muito para que eles consigam seus objetivos sentados na cadeira do PC (de preferência em uma posição lacradora) problematizando desenho asiático na interweb.

Nota-se que essa minha colega é fã de Super Lovers e justifica de todas as formas o romance entre os dois protagonistas (essa obra prima que mostra um belo e moral romance entre um coroa e um novinho, quebrando todos os tabus impostos pela sociedade e tal).

Novamente, nada contra os justiceiros sociais, mas a hipocrisia em si deve ser entrada VIP para o inferno.

Acho que vou recomendar Kaichou wa Maid-sama, já que show stand-up grátis a gente não vê todo dia. Mas tenho medo de que ela acabe gostando e acabando com meus planos.

kek.

OverkilledRed | Yesterday, 5:58 AM
Olha, eu ainda acho que isso dos shounens é só uma questão editorial de demográfico e de tradicionalismo. Eles ainda acham importantes apelar pra um público masculino adolescente, que ainda vai ser o público majoritário, e não se sentem seguros fugindo dessa zona de conforto.

Mas também é querer limitar demais o escopo da mídia falando só sobre um demográfico/gênero específico. Japão ainda tem franquias como Precure, por exemplo, que é conhecido por tratar de temas relacionados a sexualidade. Ou animes renomados como Madoka, como Utena, Flip Flappers e o já citado Yuri Kuma, que também tratam de temas assim com protagonistas femininas. É tudo uma questão de percepção. Essas obras deviam ter mais reconhecimento no ocidente, mas como shounens são o representante da mídia, a maioria dos fãs só procura coisas do tipo.

Eu acho problemático, como já falei antes, essa questão de representatividade em shounen, mas também não dá pra tomar eles como epicentro da mídia e generalizar. É como julgar o cinema pelos filmes de blockbusters feitos pra enaltecer o público masculino. Acho que animes e mangás têm uma diversidade de conteúdo que o ocidente ainda tá tentando alcançar. Pode não ser o ideal em muitos casos, mas bastante anime ainda tem protagonista feminina.

É preciso problematizar, como no caso de Mahoutsukai no Yome, mas também tentar entender melhor o que a série tenta passar. Você pode fazer qualquer associação livre, como o cara fez no tópico, mas precisa encarar a obra na sua completitude. É meio creepy o personagem chamar ela de "puppy" e, como o título da série implica, ter feito dela sua noiva. Só que a relação dos dois não tem nada sexual, ou até romântico no momento, e o foco parece ser mais em ele querer ajudá-la a superar os traumas e criar relações com outras pessoas.

Sobre Shinsekai Yori eu ainda acho complicado falar, porque acho problemático a forma como ele trata a homossexualidade. Sem entrar em spoilers, mas não diria que é uma obra ideal nesse sentido. Meus problemas com o anime vão além disso, mas ainda não acho ele horrível.

Anyway, eu entendo que são dois extremos, mas um lado ("tumblr girls") ainda tem uma certa razão. É um problema colocarem a problematização acima da obra com uma análise superficial, mas o oposto é pior.

wirescrossing | Oct 20, 4:46 PM
Sobre o carinha problematizando Mahoutsukai não sei das quantas, nem posso opinar porque não pretendo assistir o anime por enquanto e nem acompanho esse mangá. Tenho muita vontade de ler, mas ainda não me aventurei.
As pessoas responderam de um modo grosseiro, claro. Mas acho cedo para opinar sobre relacionamentos tóxicos e glorificação das paradas erradas em uma obra para alguém que assitiu apenas 2 episódios e não se sabe o que vai acontecer no mangá, como creio ser o caso do colega (não vi na mangalist dele). Acontece de conflitos às vezes serem necessários num primeiro momento do casal, para depois serem resolvidos, haver compreensão mútua etc

Eu não gosto de tirar julgamento precipitados. Vide Yuri Kuma Arashi. Na época muita gente detestou e largou entre o primeiro e o segundo episódio:
a) as viciadas em problematizar viram apenas estupro e fetichização (colegiais-ursinhas com sainhas curtas e peitões balançando querendo comer coleguinhas no mato) e pronto, virou anime de punheteiro
b) os punheteiros ficaram pertubados com o subtexto sério e os símbolos e referências a decifrar, tudo muito confuso para os pobrezinhos
O anime tem aquela pegada "A Bela e A Fera", com referências a filmes de terror e tudo. Ele brinca muito com o ecchi também. Mas as personagem se desenvolvem, se redescobrem e aprendem a amar de verdade. Só que, por causa de julgamentos tão precipitados quanto largar Shinsekai Yori depois das viadagens, a maioria dos otacos em 2015 ignorou uma obra maravilhosa e subestimada que discutiu autodescoberta, autoaceitação, amadurecimento, relacionamentos destrutivos x relacionamentos construtivos, homofobia, bullying. Tudo com muito bom gosto e ~a e s t h e t i c s~. Triste ver uma coisa linda dessas ter uma review com um belo 3 chamando-a de "sem sentido" em destaque no MAL. :~

Agora juro que paro (graças a Deus! rsrsrs), porque preciso adiantar meus trabalhos. Mas fica a recomendação para quem não assistiu ainda. o/

Club Stats
Members: 6285
Pictures: 22
Category: Cities & Neighborhoods
Created: Jun 9, 2007


Club Officers
estevam (Creator)
Hyuuji (Admin)
jef (Admin)
jojolice (Admin)
lihmao (Admin)
m4rc0 (Admin)
Priest (Admin)
shizu (Admin)

Club Type
This is a public club. Anyone can join and invite others to join.

Anime Relations

Manga Relations

Character Relations