Back to Horidrama's Blog

Horidrama's Blog

Sep 11, 5:01 PM
Anime Relations: Ashita no Joe, Ashita no Joe 2
Ha algum tempo, planejei assistir Ashita no Joe e se soubesse o que me esperava, teria assistido há anos atrás.
Se eu pudesse descrever em apenas uma palavra para todo o conjunto da obra, então eu diria: respeitável.
Nota: Já faz um certo tempo que eu terminei de assistir, mas demorei muito tempo mesmo para terminar essa review por falta de tempo e por não estar muito inspirado.

Nessa review, estarei falando sobre as duas versões.

A arte de Ashita no Joe me agrada, por mais caricata que possa ser. É um traço bem sólido. Não li o mangá, porém tive a curiosidade de procurar algumas imagens dele e consegui perceber o amadurecimento no traço ao longo do tempo.

Isso claramente também aconteceu nas adaptações.

Fiquei impressionado com a versão de 1970, considerando a época, estava muito acima da média. Na primeira versão, notei que havia uma certa "fidelidade" com o traço original. Aquele traço grosso nunca foi problema para mim.
Meu problema com a produção do primeiro anime é o excesso de reutilização de cenas. Sei que seria pedir de mais que não houvesse, mas é algo muito perceptível. Entretanto não descontei nota unicamente por isso.

Sobre as trilhas sonoras, não há uma variedade muito grande por mais que as que tenham sejam boas. Isso somado com a constante reutilização de cenas gera a percepção de repetição.

A versão de 10 anos mais tarde chegou a me assustar quando vi, quantas melhorias que foram feitas ali.
Primeiro, o traço dos personagens foram melhorados com um aspecto mais maduro. As trilhas sonoras também foram atualizadas com uma variedade um pouco maior.
As lutas ficaram bem mais interessantes de assistir, assim como reduziram o reaproveito de cena.

Sei que há pessoas que tem um certo toc com animes datados, mas eu garanto que a produção de Ashita no Joe está a anos-luz de sua geração.



Enredo

Ashita no Joe pode enganar de primeira impressão, "é um anime de boxe", eles dizem. Bom, de fato há boxe, porém acredito que seja a questão menos importante da obra.
O esporte serve como uma espécie de ferramenta para contar a história de um personagem.

Um dos meus maiores problemas com a primeira versão é o excesso de cenas de treino, uma vez que sempre são os mesmos. Ou Joe esta correndo ou Socando o saco de pancadas.

Acredito que teria sido mais interessante para obra como um todo, ter focado um pouco mais na construção da psique do Joe, Rikishi, enfim, algo que desse mais embasamento nas ações dos personagens.
Não que eu não entenda a proposta da obra, pois ao decorrer dos diálogos é possível compreender tudo. Desde que você tenha prestado atenção nos diálogos chaves, aquele grande final da segunda temporada fará todo sentido e trará uma sensação de satisfação .

Deixando de lado essas pontuações negativas, Ashita no Joe me ensinou algumas coisas que eu vou levar para minha vida por um bom tempo. A filosofia do Joe muitas vezes pode ser confundida com insanidade e obsessão pura. Mas eu consegui enxergar uma virtude interessante em um dos diálogos chave da série. Joe diz que juventude é queimar até virar cinzas. Eu levo essa lição para minha no sentido de fazer as coisas com o máximo de energia que eu puder.
Após uma leitura que eu fiz recentemente, encontrei uma palavra que define bem o que essa virtude que eu adotei para minha vida ao assistir Joe: EUSTRESSE. "o estresse “bom” (chamado eustresse) ajuda a pessoa a reagir de forma positiva às situações de mudança e desafio. Isso porque o organismo produz adrenalina, que dá aquele ânimo e aquela energia para tornar a pessoa criativa e produtiva."

Acredito que Joe tem seu legado histórico na cultura japonesa, pois se tornou um simbolo entre aqueles que se sentiam oprimidos. Simbolo de força e persistência. Eu respeito tal feito e, por ter impactado minha vida, se tornou umas dos meus animes favoritos.
Posted by Horidrama | Sep 11, 5:01 PM | Add a comment